Saúde

Câncer retal – Sintomas e causas

Descrição geral

  • Câncer Retal. O reto compreende as últimas polegadas do intestino grosso. O câncer retal se origina no revestimento do reto (mucosa retal).

O reto compreende as últimas polegadas do intestino grosso. Começa na extremidade do segmento final do cólon e termina no canal estreito e curto, que chega ao ano.

O câncer dentro do reto (câncer de reto) e o câncer dentro do cólon (câncer de cólon) frequentemente denominados conjuntamente “câncer”.

Apesar de que o câncer de cólon e o reto são semelhantes em vários aspectos, seus tratamentos são bastante diferentes. Isto se deve principalmente a que o reto está localizado em um lugar estreito, apenas separado de outros órgãos e estruturas da cavidade pélvica. Por isso, uma remoção cirúrgica completa do câncer de reto é difícil e muito complexa. Muitas vezes, é necessário um tratamento adicional antes ou após a cirurgia, ou ambos, para reduzir a possibilidade de que o câncer reaparecer.

No passado, não era frequente a sobrevivência a longo prazo das pessoas que sofriam de câncer de reto, mesmo depois de um tratamento prolongado. Graças aos avanços nos tratamentos dos últimos 30 anos, o câncer de reto hoje se pode curar, em muitos casos.

Sintomas

Os sintomas frequentes são os seguintes:

  • Uma mudança em seus hábitos intestinais, como diarreia, prisão de ventre ou evacuações intestinais mais frequentes
  • Sangue vermelho ou escuro nas fezes
  • Muco nas fezes
  • Fezes finas
  • Dor abdominal
  • Movimentos intestinais dolorosos
  • Anemia por deficiência de ferro
  • Sensação de que não esvaziaste por completo os intestinos
  • Emagrecimento sem causa aparente
  • Fraqueza ou cansaço

Quando consultar o seu médico

Pede uma consulta com o médico se tiver sintomas que sugiram câncer retal, em particular, sangue nas fezes ou emagrecimento sem causa aparente.

Causas

O câncer de reto aparece quando as células saudáveis do reto apresentam erros em seu DNA. Na maioria dos casos, a causa desses erros é desconhecida.

Leia também:  Captril: Adeus Depressão e Ansiedade! Relato pessoal - 2020

As células crescem e se dividem de forma organizada para manter o funcionamento normal do corpo. No entanto, quando o DNA de uma célula se corrompe e se torna canceroso, as células continuam dividindo-se, mesmo se não precisam de células novas. À medida que as células se acumulam, formando um tumor.

Com o tempo, as células cancerosas podem crescer e invadir e destruir o tecido normal ao redor. Além disso, as células cancerosas podem viajar para outras partes do corpo.

Mutações genéticas herdadas que aumentam o risco de contrair câncer de cólon ou de reto

Em algumas famílias, certas mutações genéticas que são passadas de pais para filhos, podem aumentar o risco de contrair cancro colo-retal. Estas mutações influencia apenas um pequeno percentual dos casos de câncer de reto. Alguns genes ligados ao câncer de reto aumentam o risco de uma pessoa sofrer de uma doença, mas não fazem com que seja inevitável.

Duas síndromes de cancro colo-retal geneticamente bem definidos são:

  • Câncer colorretal hereditário não poliposo. Esta síndrome, também conhecido como “síndrome de Lynch”, aumenta o risco de contrair câncer de cólon e outros tipos de câncer. As pessoas que têm câncer colorretal hereditário não poliposo costumam sofrer de câncer de cólon antes de completar 50 anos.
  • Polipose adenomatosa hereditária. A polipose adenomatosa hereditária é uma doença rara que faz com que milhares de pólipos no revestimento do cólon e do reto. As pessoas que sofrem desta condição e não procuram tratamento apresentam um risco muito maior de desenvolver câncer de cólon ou reto antes de completar 40 anos.

A polipose adenomatosa hereditária, o câncer colorretal hereditário não poliposo e outras síndromes de câncer hereditário menos frequentes podem ser detectados através de análises genéticas. Se se preocupam com seus antecedentes familiares de câncer de cólon, pergunte ao médico se esses antecedentes sugerem que você tem risco de contrair essas doenças.

Leia também:  Alimentos Brancos

Fatores de risco

As características e os fatores relacionados com o estilo de vida que aumentam o risco de câncer de reto são os mesmos que aumentam o risco de ter câncer de cólon. Alguns deles são:

  • Idade avançada. A grande maioria das pessoas com diagnóstico de câncer de cólon e reto têm mais de 50 anos. O câncer pode ocorrer em pessoas mais jovens, mas com uma frequência muito menor.
  • Origem afro-americano. As pessoas de ascendência africana nascidas nos Estados Unidos têm maior risco de cancro colo-retal que as pessoas de ascendência europeia.
  • Antecedentes pessoais de câncer colorretal ou pólipos. Se você já teve câncer de reto, câncer de cólon ou pólipos adenomatosos, você tem um risco maior de desenvolver câncer no futuro.
  • Doença intestinal inflamatória. As doenças inflamatórias crônicas do cólon e o reto, como a colite ulcerosa e doença de Crohn, aumentam o risco de cancro colo-retal.
  • Síndromes herdadas que aumentam o risco de cancro colo-retal. As síndromes genéticos transmitidos através das gerações de sua família podem aumentar o risco de cancro colo-retal. Esses sintomas compreendem a polipose adenomatosa familiar e câncer colorretal hereditário não poliposo.
  • Antecedentes familiares de cancro colo-retal. Você tem mais chances de contrair câncer colorretal se você tem um pai, irmãos ou filhos com essa doença. Se mais de um membro de sua família tem câncer de cólon ou de reto, o risco é ainda maior.
  • Fatores dietéticos. O câncer colorretal pode estar relacionado com uma dieta baixa em vegetais e alta em carnes vermelhas, especialmente quando a carne está bem cozida ou cozida.
  • Um estilo de vida sedentário. Se você é inativo, é mais provável que contraigas cancro colo-retal. Realizar atividade física de forma regular pode reduzir o risco de câncer de cólon.
  • Diabetes. As pessoas com diabetes tipo 2 mal controlada e resistência à insulina podem correr um maior risco de cancro colo-retal.
  • Obesidade. As pessoas obesas apresentam um maior risco de ter câncer e morrer por causa do câncer de cólon ou de reto em comparação com as pessoas cujo peso é considerado normal.
  • Fumar. As pessoas que fumam podem correr um maior risco de câncer de cólon.
  • O álcool. Beber em forma regular, mais de três bebidas alcoólicas por semana pode aumentar o risco de cancro colo-retal.
  • Radioterapia para casos de câncer anteriores. A radioterapia dirigida ao abdômen, para tratar casos de câncer anteriores pode aumentar o risco de cancro colo-retal.
Leia também:  10 erros comuns que são cometidos ao praticar yoga

Prevenção

Fale com o médico sobre quando deve começar a realizar exames para detecção de câncer colorretal. Em geral, as diretrizes recomendam começar com a primeira análise para a detecção de câncer aos 50 anos de idade. O médico pode recomendar que comece a realizar análises para a detecção mais cedo ou mais frequentemente se você tiver outros fatores de risco, como histórico familiar de câncer de cólon ou câncer de reto.

O exame para a detecção mais precisa é a colonoscopia. Nesta prova, um médico examinar o revestimento do reto e intestino grosso, através da utilização de um tubo longo e flexível com uma pequena câmera de vídeo em uma extremidade (colonoscópio). O colonoscópio é inserido no ânus e passa-se para o reto e o cólon. À medida que a câmera do colonoscópio se move pelo intestino, envie um vídeo do revestimento do cólon e do reto ou um monitor que olha para o médico. Se se descobre um pólipo ou uma área de tecido suspeito, o médico também pode fazer exame de amostras de tecido de essas áreas com instrumentos que são inseridos no colonoscópio.

 

 

Deixe uma resposta