Doenças

Vaginite – Sintomas e causas

Descrição geral

A vaginite é uma inflamação da vagina que pode provocar fluxo, coceira e dor. Geralmente, a causa é uma alteração no equilíbrio normal das bactérias da vagina ou uma infecção. Os níveis reduzidos de estrogênio após a menopausa e algumas doenças de pele também podem causar vaginite.

Os tipos mais comuns de vaginite são:

  • Vaginose bacteriana, que ocorre como resultado de uma mudança nas bactérias que se encontram normalmente na vagina e um crescimento excessivo de outros organismos
  • Candidiase vaginal, geralmente causada por um fungo que se encontra naturalmente na vagina, chamado Candida albicans
  • Tricomoníase, causada por um parasita e comumente transmitida através de relações sexuais

O tratamento depende do tipo de vaginite que tenha.

Sintomas

Os sinais e sintomas de vaginite podem incluir:

  • Mudanças na cor, o cheiro ou a quantidade de corrimento vaginal
  • Comichão, ou irritação vaginal
  • Dor durante as relações sexuais
  • Dor ao urinar
  • Sangramentos ou manchas vaginais

Se você tem corrimento vaginal (muitas mulheres não têm), as características do fluxo podem indicar o tipo de vaginite que você tem. Por exemplo:

  • Vaginose bacteriana. Você pode ter um fluxo de cor branco-acinzentado e odor desagradável. O cheiro, comumente descrito como cheiro de peixe, poderia ser mais notório depois de ter relações sexuais.
  • Candidiase vaginal. O principal sintoma é a coceira, mas você pode ter um fluxo espesso de cor branco, semelhante ao requeijão.
  • Tricomoníase. Uma infecção chamada tricomoníase pode causar um fluxo amarelo-esverdeada, às vezes de aspecto espumoso.

Quando consultar o médico

Consulta com o médico se sentir desconforto incomum na xoxota, especialmente se:

  • Você tem cheiro desagradável, corrimento ou prurido vaginais.
  • Nunca teve uma infecção vaginal. Se consultas com o médico, pode determinar a causa e aprender a identificar os sinais e sintomas.
  • Já teve infecções vaginais.
  • Teve vários parceiros sexuais ou um casal recente. Pode ter uma infecção de transmissão sexual. Algumas infecções de transmissão sexual apresentam sinais e sintomas semelhantes aos da candidiase vaginal ou vaginose bacteriana.
  • Usou um ciclo de tratamento com um medicamento de venda livre para a candidiase vaginal e continuar a ter sintomas.
  • Tiver febre, arrepios ou dor pélvica.
Leia também:  Fístula retovaginal - Sintomas e causas

Abordagem de “esperar e ver”.

Provavelmente não precisa se consultar com o médico sempre que sentir irritação e fluxo vaginal, particularmente se:

  • Já teve um diagnóstico de candidiase vaginal e os sinais e sintomas são iguais aos de antes
  • Você conhece os sinais e sintomas da candidiase vaginal, e está segura de que isso é o que você tem

 

Causas

A causa depende do tipo de vaginite que tiver:

  • Vaginose bacteriana. Esta é a causa mais comum de vaginite e aparece quando as bactérias que se encontram normalmente na vagina sofre mudanças e se produz um crescimento excessivo de um dos vários organismos. Em geral, as bactérias que normalmente se encontram na vagina (lactobacilos) parecem superadas em número de outras bactérias (anaeróbias) dentro da vagina. Se a quantidade de bactérias anaeróbias aumenta em excesso, altera-se o equilíbrio, o que causa a vaginose bacteriana.Este tipo de vaginite parece estar vinculada com as relações sexuais, em especial se você tiver vários parceiros sexuais ou um novo parceiro, mas também os que têm mulheres que não são sexualmente ativas.
  • candidiase vaginal. Ocorre quando há um crescimento excessivo de fungo, geralmente C. a candida albicans, dentro da xoxota. O fungo C. albicans também causa infecções em outras áreas úmidas do corpo, como a boca (aftas), as dobras da pele debaixo das unhas (leito ungueal). O fungo também pode causar dermatite da fralda.
  • Tricomoníase. Trata-Se de uma infecção de transmissão sexual frequente, causada por um parasita microscópico, formado por uma única célula, chamado Trichomonas vaginalis. Este organismo é transmitido ao ter relações sexuais com uma pessoa infectada. Nos homens, o organismo geralmente infecta o trato urinário, mas não costuma causar sintomas. Nas mulheres, a tricomoníase geralmente infectam a vagina e pode causar sintomas. Também aumenta o risco de as mulheres de contrair outras infecções de transmissão sexual.
  • Vaginite não-infecciosa. Os aerossóis, desodorantes e lavagens vaginais, sabonetes e detergentes perfumados, e os produtos espermicidas podem causar uma reação alérgica ou irritar os tecidos vulvares ou vaginal. Os objetos estranhos, como papel de seda ou um tampão esquecido dentro da vagina também pode irritar os tecidos vaginais.
  • Síndrome geniturinário da menopausa (atrofia vaginal). Os níveis reduzidos de estrogênio após a menopausa ou após a remoção cirúrgica dos ovários podem causar o afinamento da parede vaginal, o que às vezes causa irritação, queimadura, ou secura dos tecidos vaginais.
Leia também:  Cistos mamários - Sintomas e causas

Fatores de risco

Os fatores que aumentam o risco de ter vaginite incluem:

  • Alterações hormonais, como os associados com a gravidez, pílulas anticoncepcionais ou a menopausa
  • Atividade sexual
  • Ter uma infecção de transmissão sexual
  • Medicamentos, como antibióticos e esteróides
  • O Uso de espermicidas como método contraceptivo
  • Diabetes não controlada
  • Uso de produtos de higiene como o banho de bolhas, aerossóis ou desodorantes vaginais
  • Lavagens vaginais
  • Usar roupa molhada ou ajustada
  • Usar um dispositivo intra-uterino (DIU) como método contraceptivo

Complicações

As mulheres com tricomoníase ou vaginose bacteriana têm maior risco de contrair infecções de transmissão sexual, devido à inflamação que provocam essas doenças. Em mulheres grávidas, a vaginose bacteriana e tricomoníase sintomáticas estão associadas com partos prematuros e bebês com baixo peso ao nascer.

Prevenção

A boa higiene pessoal pode ajudar a impedir que voltem a aparecer certos tipos de vaginite e pode aliviar alguns sintomas:

  • Evita as banheiras, os jacuzzi e piscinas de hidromassagem.
  • Evita os irritantes. Estes incluem tampões, pensos, lavagens vaginais e sabonetes perfumados. Lave o sabão para que não se fique na área genital externa, após a ducha e se cate bem a região para evitar que ele se irrite. Não use sabonetes potentes, como os que têm ação desodorante ou de antibiótico, nem casas de banho de bolhas.
  • Limpa-te de frente para trás quando você vai ao banheiro. Dessa forma, você evita transmitir bactérias da matéria fecal e da vagina.

Outras medidas que você pode tomar para ajudar a prevenir a vaginite incluem:

  • Não use lavagens vaginais. A vagina não precisa de nenhuma outra limpeza que não seja o banho normal. As lavagens vaginais repetidos perturbam os organismos que se encontram normalmente na vagina e, de fato, podem aumentar o risco de infecções vaginais. As lavagens vaginais não curam infecções vaginais.
  • Use preservativos de látex. Os preservativos de látex, tanto masculinos como femininos, podem ajudar a prevenir as infecções de transmissão sexual.
  • Usar roupa interior de algodão. Além disso, usa meia calça que tenham virilha de algodão. Se você não se incomoda, tire a calcinha para dormir. As leveduras (fungos que causam a candidíase) crescem mais com a umidade.
Leia também:  Dor pélvica crônica em mulheres - Sintomas e causas

 

Deixe uma resposta